Internet, programas e séries de TV, mídias impressas e vários outros meios de comunicação e consumo atuais têm uma influência muito grande na maneira com que encaramos o mundo, seja formando opiniões, moldando notícias ou na própria linguagem utilizada. 
E, por conta disso, profissionais e empresas ligadas à essa produção de conteúdo muitas vezes são vistas como “magos”, como se a criatividade fosse algo extremamente natural e que acontece sem esforços. Claro que algumas pessoas possuem certa facilidade para áreas ligadas à criação, assim como na Nov3, onde dizemos que a criatividade está no sangue. Mas não é só isso. 
Se analisarmos algumas referências de sucesso e desenvolvimento, é possível ver que na maioria deles há algum fator de incentivo à mudança. Animais que evoluem para se adaptar, culturas que são consideradas mais desenvolvidas porque tiveram que buscar meios distintos de sobrevivência, entre outros exemplos em que a necessidade de se estabilizar gerou uma série de transformações que hoje são garantias da qualidade e destaque entre os demais. 
Da mesma forma, o pensamento criativo precisa de incentivo para se manter atual e ativo. Não podemos nos contentar com a simples facilidade de criar, quanto mais incentivo, estudo e boas referências tivermos, melhor será nosso repertório. 
Com a preparação certa, a criatividade não só flui mais facilmente, mas também é exercida de modo mais eficaz, produzindo resultados que atinjam diretamente nas metas e objetivos traçados.